Alcoólicos Anônimos: ajudando pessoas a recuperar a sobriedade

Em 2019, o grupo dos Alcoólicos Anônimos (AA) completa 84 anos de atuação em várias partes do mundo, com a proposta de auxiliar as pessoas a lidar com seus problemas relacionados ao alcoolismo. O AA teve início em 1935 nos EUA, sendo que o nome surgiu apenas em 1938 com a criação de um livro que se tornou a base no qual o grupo atua, sendo apelidado de Big Book ou de Livro Azul. Na 4ª edição do livro, lançada em 2001, o AA contava com a participação de mais de 2 milhões de pessoas em 150 países. No site oficial do AA no Brasil, o grupo é descrito como uma irmandade de ajuda mútua, onde os membros compartilham suas experiências sobre como lidam com o vício em álcool.

As atividades são gratuitas, não seguem nenhuma seita ou religião, não fazem parcerias com grupos políticos, sendo o seu único propósito acolher pessoas que compartilham o desejo de parar de beber. O anonimato do AA é uma regra fundamental das atividades, que também garante uma segurança a quem participa dos encontros e permite uma abertura maior para a expressão dos relatos pessoais sobre o dia a dia de se lidar com o alcoolismo.

84 anos de história dos Alcoólicos Anônimos

O alcoolismo

“Do ponto de vista médico, o alcoolismo é uma doença crônica, com aspectos comportamentais e socioeconômicos, caracterizada pelo consumo compulsivo de álcool, na qual o usuário se torna progressivamente tolerante à intoxicação produzida pela droga e desenvolve sinais e sintomas de abstinência, quando a mesma é retirada”, descreve o médico Drauzio Varella, em um artigo publicado no próprio site.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 3,3 milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência do álcool. E uma das características comuns aos alcoólatras é a negação da doença, sendo que a aceitação é um dos primeiros passo para se livrar da dependência. A doença com o passar dos anos pode trazer consequências graves principalmente para o fígado, órgão que remove do corpo 90% a 98% da droga ingerida, sendo o restante eliminado pelos rins, pulmões e pele.

Os tratamentos mais conhecidos para o alcoolismo são a desintoxicação e a reabilitação. A desintoxicação trata da retirada do álcool combatendo os efeitos da abstinência no paciente e é um procedimento feito sob supervisão médica, mas, que possuí um alto índice de recaída entre os tratados. Já a reabilitação é a proposta que os Alcoólicos Anônimos defendem, que complementa a desintoxicação, e que propõe através da troca de experiências um novo recomeço para a pessoa.

Como participar?

O preconceito e a desinformação dificultam o combate ao alcoolismo, por isso, livre-se das amarras, se informe e auxilie quem precisa de você. Caso lide com o problema do alcoolismo e deseje procurar ajuda há diversos grupos de AA espalhados pelo Brasil. Só em Santa Catarina, há 28 grupos distribuídos por todas as regiões do estado. Basta você acessar o site do AA e buscar primeiramente pelo estado e depois localizar a cidade mais próxima de você.

Saiba mais sobre o AA.

Texto: Bianca Selhorst