Bicicleta ganha popularidade mas ainda faltam ciclovias

Em meio a tanto trânsito nas cidades brasileiras, principalmente em horários de picos, a bicicleta vem sendo cada vez mais utilizada não só como passatempo, mas também como meio de transporte. Isso que além deste fator, ela não polui o meio ambiente, contribui na sua saúde e também no seu “bolso”.

Em 2015 a ONG Transporte Ativo e o laboratório de mobilidade da UFRJ  realizaram uma pesquisa em dez principais cidades brasileiras e 45% dos entrevistados eram novos usuários da bicicleta como o meio do transporte. Pessoas que aderiram a bicicleta nos últimos anos para trabalhar ou estudar.

Mas você sabe os cuidados necessários que deve ter para usar a “bike”?

As atenções e prevenções vão desde a manutenção até a maneira de como andar em segurança.

Retirar o pó do quadro, lavar após o uso, não deixar os aros enferrujarem, lubrificar pedais e freios, além de deixar os pneus calibrados são procedimentos básicos.

Importante também são os equipamentos para uso: capacete, luvas, protetor para joelhos e cotovelos. Além disso é preciso destacar a maneira em que o ciclista deve transitar. Não andar na contramão, obedecer ao semáforo e sinalizar para que direção deseja ir também são itens importantes. Mais informações você pode encontrar no site pedalada.com.

Embora seja o transporte ideal de locomoção, um fator ainda preocupa os adeptos: a ausência de ciclovias. Na região, por exemplo, são poucos lugares em que há um espaço para os ciclistas transitarem. Em Tubarão existem alguns pontos de ciclovias, porém a maior preocupação da população ainda é no centro, onde boa parte dos usuários precisam recorrer as calçadas. Outro ponto que chama atenção negativamente é sobre veículos estacionados nas ciclovias do município, como destaca Milton Alves, em sua coluna no Diário do Sul.

Texto: Wanderson Andrade