Campanha Maio Amarelo

O curso de Psicologia da Unisul promove a 4ª edição do Maio Amarelo, movimento internacional em prol da segurança no trânsito. A iniciativa está relacionada com a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, lançada em 2011 e que vai até 2020.  O projeto está sendo realizado pelos alunos da unidade de aprendizagem de Psicologia no Trânsito como Campo de Intervenção Psicológica, do 3° semestre, com coordenação da professora Carla Dagostin. A intenção da campanha é integrador, além dos acadêmicos, também os colaboradores da universidade. “É um chamamento para a sociedade, para que possamos pensar no trânsito de uma forma mais humanizada e mais responsável, onde possamos olhar o trânsito como um bem social ” , ressalta a coordenadora do projeto.

O tema desta edição do Maio Amarelo é a conscientização das atitudes e escolhas no trânsito. “Que possamos fazer decisões para a vida, preservando a minha vida e a do outro no trânsito, seja participando como pedestres, ciclistas ou motoristas”, afirma a professora.

As ações para divulgação estão acontecendo através da distribuição de folders e lacinhos em alguns blocos da universidade, em locais de grande circulação, em horários de pico, como o Centro de Convivência. Na quinta-feira, 18 de maio, os alunos e a professora Carla Dagostin estiveram no bloco do Cettal para divulgar o movimento.

“A expectativa é abranger o máximo de pessoas”, explica Vanessa Leandro, uma das alunas envolvidas no projeto. “Falar para as pessoas de uma forma que elas entendam e não simplesmente para eles conheçam esse mês como amarelo mas não saibam o que significa”, destaca. A aluna afirma ainda que é uma forma de explicar e conscientizar sobre o Maio Amarelo e como isso pode melhorar se o público-alvo acatar a ideia.

“Queremos convidar as pessoas para que elas sejam multiplicadoras dessa ideia, não apenas repassem a informação” ressalta Matheus Cleyton, também aluno colaborador do projeto. “Nossas escolhas têm impacto no trânsito e na vida de outras pessoas, as nossas negligências, as nossas imprudências podem ferir uma pessoa ou mesmo tirar a vida dela, temos que enfatizar isso”.