Representatividade ganha espaço em filmes de super-herói

Representar interesses de diferentes grupos é fundamental para tentar suprir a necessidade de toda uma população. Assim como diversos quadrinhos estão sendo transformados em filmes, já era a hora da representatividade ganhar espaço nesse meio. Pantera Negra, Mulher-Maravilha e Capitã Marvel são alguns dos exemplos desse início marcante para a sociedade.

O filme Pantera Negra conquistou o mundo e trouxe algo bem importante para as telas do cinema: o super-herói, interpretado pelo ator Chadwick Boseman, tem pele negra e é o protagonista. A importância dessa interpretação não é apenas para o desenrolar da história dentro do filme, mas também para a sociedade que está consumindo o produto. Isto porque na maior parte das produções, há um histórico que denigre a figura do negro, o que não aconteceu neste filme.

No quesito representatividade feminina, duas grandes produções têm como protagonistas duas mulheres que ganharam pela primeira vez histórias adaptadas para o cinema: Mulher-Maravilhosa e Capitã Marvel. Interpretadas, respectivamente, por Gal Gadot e Brie Larson.

Para a estudante Júlia Raquel, ver a representação das mulheres e dos negros no cinema é algo que emociona: “a gente sabe de crianças negras que nunca viram um super-herói negro em filmes. São raros, e quando acontecia, não ganhavam o papel de protagonista da história. Assim como nos filmes Mulher-Maravilha e Capitã Marvel, fiquei surpresa em como as produções conseguiram desenvolver bem o empoderamento feminino durante as histórias”.

Texto: Jéssica Higino