Saber morrer para viver mais

Você cresce rodeado por pessoas que te amam, de pessoas que te apoiam, que sempre estarão lá por você, não importa o que aconteça, e que tentam te proteger dos perigos do mundo. A essas pessoas você chama de família. Não importa por quais membros essa família seja formada, pode ser de sangue ou do coração, o que importa é que você faz parte de um grupo, tem um lugar no mundo. Mas chega uma hora em que você precisa deixar essa família, sair de baixo das ”asas” daqueles que te amam e te protegem e começar a aprender a voar por si próprio. Quando chega esse momento você começa a entender o significado de três palavras até então ignoradas: casa, solidão e saudade. Três palavras que de certa forma passam a se relacionar em seus sentidos.

Se você procurar no dicionário a palavra casa, vai ver que uma de suas definições é ”pessoas que habitam o mesmo lugar; reunião dos indivíduos que compõem uma família”. Quando se mora sozinho essa é a definição mais perfeita e triste que existe, porque, por mais que você goste da privacidade de uma vida só, casa sempre significará o lugar onde as pessoas que você ama estão. E é aí que a palavra solidão começa a fazer parte da sua vida, pois de repente você não tem mais um grupo de pessoas ao seu redor, agora é você por si mesmo. Você terá que aprender a se virar sozinho, muitas vezes em um lugar desconhecido e com pessoas desconhecidas, e mesmo que suas novas amizades ajudem a minimizar os momentos de solidão nada poderá suprir a falta daqueles que estão longe.

A solidão chega como um banho de água fria para fazer com que você perceba que não tem mais para quem chorar ou pedir ajuda quando tem problemas ou está passando por um momento difícil, a solidão lhe faz perceber que, de repente, já está na hora de crescer. Saudade é outro sentimento constante na vida daqueles que moram sozinhos, ela começa a fazer parte dos seus dias e você passa a sentir saudades até mesmo das coisas que antes não gostava. A saudade é um sentimento natural da vida, todos lembram dos bons tempos que passaram, e é muito provável que todos os seus amigos de faculdade também sintam saudades do ensino médio e dos amigos que deixaram para trás, mas só quem está longe de casa e da família sente aquela saudade dolorida que nos faz chorar às vezes.

Quando você se muda de um lugar para o outro passa a sentir falta de tudo que tinha antes e agora não tem mais. E se for o caso de se mudar para um estado ou região diferente a saudade passa a ser das características daquele lugar que um dia você chamou de casa. É preciso ser forte para aguentar e superar essas três palavras. O pior momento é o começo, quando você ainda está se adaptando à nova vida e a dor da distância às vezes fala mais alto do que a razão que o motivou a sair de casa. Sofrem aqueles que saem e aqueles que ficam, a dor da sua família em ver você se mudar para longe faz com que seu sofrimento seja duplo, e você começa a se perguntar se realmente está fazendo a coisa certa. O começo costuma ser também o momento onde as coisas que antes eram certezas agora se transformam em dúvidas e é preciso ser muito obstinado no seu objetivo para não desistir de tudo e voltar atrás.

Morar sozinho é saber morrer muitas vezes para viver mais. Apesar de tudo, a dor um dia acaba, ou pelo menos ameniza, e tudo pelo que você passou vai valer a pena. Morar sozinho e longe da família, além de ser uma grande experiência que você irá levar para vida toda, é também um aprendizado que apenas fará você crescer, é uma dor necessária para aqueles que querem ser livres e independentes. Portanto, se você tem um sonho ou um objetivo na vida, vá atrás dele não importa o quão longe ele esteja ou quais os obstáculos você terá que enfrentar, não deixe que o medo prive-o da vida incrível que você merece ter. E mesmo que um dia você desista e volte atrás ou mude de sonhos e objetivos, pelo menos tente, porque, como diz o ditado, é melhor se arrepender daquilo que nós fizemos do que daquilo que nós poderíamos ter feito e não fizemos.