Brasil ao Cubo: inovação entrega novos leitos em tempo recorde no combate ao coronavírus

Os hospitais saem 90% prontos da fábricas

A agilidade nas ações governamentais e privadas é a solução para conter a disseminação do inimigo invisível . Quando ele ameaça provocar o colapso no Sistema Único Brasileiro (SUS), o medo toma conta dos cidadãos e quem está à frente de grandes empresas e cargos pode fazer a diferença de forma rápida, sólida e efetiva. É o caso da empresa tubaronense Brasil ao Cubo, que prometeu e “fabricou” dois hospitais seis vezes mais rápidos que uma construção convencional.

É importante entender primeiramente que a Brasil ao Cubo é uma construtech. O termo provém da Transformação Digital que surgiu para facilitar processos e gerar valor aos diversos agentes da cadeia da construção. Recém consolidada, a empresa de Tubarão tem atendido grandes players do mercado por entregar obras de forma eficiente e sem imprevistos. Justo o que é necessário para este momento delicado de pandemia do novo coronavírus.

Com a parceria da Ambev, a Gerdau e o Hospital Israelita Albert Einstein, construíram uma nova unidade hospitalar, de forma anexa ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch, na Zona Sul de São Paulo. O empreendimento possui 100 leitos hospitalares e atende os pacientes exclusivamente pelo SUS. Assim, após o combate à covid-19, o centro de tratamento será entregue à Prefeitura de São Paulo e passará a integrar a rede pública de saúde do município.

Chamada de construção modular, a tecnologia aplicada pela Brasil ao Cubo tornou possível entregar a unidade em 35 dias corridos, com o valor estimado de R$ 10 milhões. De acordo com a empresa, o hospital saiu 90% pronto da sede da fábrica na Cidade Azul. “É uma grande obra fatiada em fatias menores. Quando a gente diz módulo, as pessoas podem confundir, mas não é só a estrutura que vai. Já sai daqui cerâmica, elétrica, água, tudo pronto de fábrica, pintado”, explica Ricardo Mateus, fundador da Brasil ao Cubo.

Em Porto Alegre

Até fim de maio a Brasil ao Cubo vai entregar outro hospital em tempo recorde. Gerdau, Ipiranga e Grupo Zaffari investiram R$ 10,4 milhões na construção da unidade que construída em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O empreendimento vai contar com 60 leitos construídos em uma área do Hospital Independência, na capital gaúcha, onde está concentrado o maior número de casos de Covid-19 no Estado. No total, serão 300 profissionais, entre médicos e equipe multidisciplinar, deslocados para a nova unidade, que oferecerá atendimento 24 horas.

Segundo o presidente da Gerdau, Gustavo Werneck, o momento é desafiador e requer agilidade e colaboração: “A inovação, aliada à rapidez da construção, são essenciais para erguer o centro de tratamento, que salvará muitas vidas.” Além da doação em dinheiro, a Gerdau fornecerá 400 toneladas de aço e vai auxiliar no processo construtivo.Passado, o período de pandemia, a unidade será transferida para a Prefeitura de Porto Alegre e incorporada ao Hospital Independência, virando um legado para a cidade.

Por Kamila Melo