Campanha de Vacinação recomeça com nova estratégia na Cidade Azul

Nesta terça-feira (31), a Campanha de Vacinação contra a Influenza volta a acontecer em Tubarão, depois de ter sido suspensa, por falta de vacinas. Agora, a Fundação Municipal de Saúde vai adotar uma nova estratégia para a imunização. O município tem pouco mais de 3,8 mil doses, que foram recebidas na segunda remessa. Por isso, apenas idosos acima de 75 anos serão vacinados, até que a demanda seja normalizada.

 “Definimos essa idade, a princípio, pois é a faixa etária que possui dificuldades de recuperação, são os mais vulneráveis ao vírus no organismo e podem desenvolver mais sequelas”, relata a coordenadora da Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde, Vanessa Venâncio.

Como se trata de uma boa quantidade de pessoas, a campanha vai continuar acontecendo até o final do mês de abril. Sobre a nova remessa, ainda não se sabe quando vai chegar, isso porque o Ministério da Saúde ainda não divulgou o novo cronograma de entregas.

Entenda porque a vacinação foi suspensa

Na última segunda-feira (23), foi iniciada em todo o Brasil, a Campanha de Vacinação contra a gripe Influeza. O movimento foi antecipado, por conta da pandemia do novo coronavírus, (a campanha costuma começar em abril). Diante disso, o governo federal decidiu priorizar os idosos e profissionais de saúde.

Em Tubarão, eram necessárias cerca de 15 mil vacinas para todos da primeira etapa fossem vacinados. E não é costume dos brasileiros procurarem a vacina logo no primeiro dia, e por isso, o Ministério da Saúde envia a quantidade de doses em etapas. Acontece que por conta da pandemia do novo coronavírus, idosos e profissionais da saúde procuraram em massa os locais de vacinação para se prevenirem contra a H1N1. Com isso, três horas após iniciar a campanha, já não havia mais vacinas disponíveis.

“Nós recebemos apenas cerca de cinco mil vacinas e a promessa de que receberíamos mais na segunda. Como a campanha estava programada pelo Ministério, nós não fizemos alteração no cronograma e vacinamos as cinco mil pessoas com as doses que tínhamos do grupo prioritário. Entramos em contato com os órgãos competentes e estamos aguardando nova remessa”, informou o diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Daisson Trevisol, na época que faltaram as doses.

Créditos: Fleepik

Texto: Fhillype Costa

Leia também Tubarão se prepara para atender casos de COVID-19