Compostagem: Um ato solidário!

A compostagem é uma pratica que está se tornando cada vez mais popular na atualidade, consiste em reaproveitar dejetos orgânicos que seriam descartados no lixo comum para produzir humus, um poderoso adubo natural.

A composteira ou minhocario, trata-se de um conjunto de recipientes produzidos com o propósito de abrigar resíduos orgânicos durante seu processo de decomposição. Existem varias maneiras de se preparar um minhocario, a mais comum delas é utilizando recipientes plásticos, como baldes, bacias, entre outros, empilhados de forma que o liquido oriundo do processo de decomposição dos resíduos, conhecido como chorume, caia para o recipiente inferior, retirando a humidade dos demais recipientes e mantendo a oxigenação dos resíduos.

O chorume, assim como o humus, pode ser utilizado como fertilizante ou até mesmo repelente de pragas natural. Diferentemente do chorume encontrado em lixões esse não é toxico e, se preparado e armazenado corretamente, não produz mau cheiro.

A preparação de uma composteira não exige a utilização de minhocas, porém, elas são uteis para agilizar o processo de transformação dos dejetos em adubo e tornam o fertilizante mais nutritivo. Como nos explica, Maria Luiza Della Rocca Sulzbacher.

Ela cuida de uma composteira a mais de um ano em seu apartamento e nos demonstra que seu uso ajudou consideravelmente na redução do lixo produzido na casa.

“Percebemos a quantidade de lixo que a gente gera, sabe? Que nem é lixo! Comemos muitas frutas, verdura e legumes, isso dava mais ou menos duas sacolas, daquelas de mercado cheias, por dia. Hoje a cada 3 dias é uma sacola”

Maria Luiza também nos explica que utilizar a composteira é uma tarefa simples.

“Tivemos que nos acostumar, tem que se regrar, até porque é um hábito que a gente tem há muito tempo de simplesmente jogar tudo no lixo. Acho que antes de ter uma composteira a pessoa já tem que se habituar a separar o lixo, afinal nem tudo orgânico pode ir na composteira. Carne, por exemplo, não pode!”

Assim como explica Maria, alguns cuidados devem ser tomados ao utilizar um minhocario, nossa equipe disponibilizou algumas dicas para você que pretende começar a separar seu lixo orgânico e ter sua própria composteira.

Cuidados que devemos ter ao lidar com um minhocario:

  • O tipo de minhoca utilizado na criação.
    •  As minhocas canadenses são as mais recomendadas, pois, diferentemente das nativas do brasil, essas são capazes de se alimentar de alimentos frescos, tornando o processo de decomposição mais rápido.
  • Manter a composteira em um local seco, arejado e fora do contato direto com a luz solar.
  • A disposição dos resíduos também influencia na qualidade e velocidade da criação do fertilizante.
  • Os resíduos frescos e húmidos devem ser acompanhados de uma camada de resíduos secos como serragem ou folhas, para que aja retenção de parte da humidade.

Ao utilizar minhocas, deve se tomar ainda mais cuidado, visto que tanto a humidade quanto o calor e o ácido cítrico liberado pelas cascas de frutas cítricas, podem matar as minhocas e microrganismos responsáveis pela decomposição do material.

Dentre os materiais que podem ser utilizados na compostagem estão:

  • A vontade: cascas, talos, folhas e restos de frutas (exceto cítricas), verduras e legumes, sementes (trituradas), casca de ovos, borra e filtro de café, sachês de chá e erva de chimarrão, palitos (com ponta amassada), papel de pão, papel toalha ou guardanapos (sem gordura).
  • Com moderação: flores e ervas medicinais ou aromáticas, frutas cítricas (laranja, limão, bergamota, abacaxi), alimentos orgânicos cozidos, alimentos derivados de grãos integrais ou refinados (arroz, feijão, macarrão, pães), temperos fortes (pimenta, alho, cebola, louro). Alguns em excesso são prejudiciais às minhocas por causa de temperos e outros podem fermentar e originar fungos.
  • Proibido: carnes e ossos, alimentos processados cozidos ou assados (massas, bolos, biscoitos, salgados), sal, óleos e gorduras, doces, laticínios, nozes, papeis ou plásticos de embalagens com tinta. Evitar o que contiver elementos químicos, por conta da sua toxidade para as minhocas (cola, tinta, verniz), e também vegetais secos onde animais domésticos passeiam e defecam, para impedir a proliferação de vermes e parasitas.
  • Matéria seca: jornal, papelão ou papel de pão picados, folhas secas ou serragem.

De acordo com os dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aproximadamente metade do lixo produzido no Brasil é orgânico, ou seja, restos de cascas de ovo, melancia, banana e bergamota, caroços de frutas, borras de café, dentre outros dejetos que poderiam ser reciclados utilizando algum método de compostagem. O resultado da reciclagem proativa desses resíduos orgânicos, resultaria em mais saúde e bem estar para a população e o meio ambiente.

Se ainda está interessado em aprender sobre o processo de compostagem, assista a essa playlist de videos que exemplificam bem o que foi ensinado no decorrer do texto:

Imagem de: Sippakorn Yamkasikorn no Pexels

Texto por: Juan Freitas


Quer aprender mais sobre como suas ações podem ajudar o meio ambiente? Acesse também: https://mural.unisul.br/menstruacao-e-sustentabilidade/