Coronavírus e a situação de abastecimento dos alimentos

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia) anunciou em nota no último mês, que o abastecimento segue na normalidade, bem como os estoques, e que não haverá risco imediato de falta de alimentos em nosso país.

De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), os supermercados foram orientados e preparados para aumentar o estoque caso seja preciso, da mesma forma que acontece nas datas sazonais.

Além disso, um comitê de crise foi criado pela Abia em parceria com a Associação Paulista de Supermercados (Apas), para acompanhar a situação do abastecimento de alimentos em nosso país. “O monitoramento está sendo feito diariamente por videoconferência entre representantes das associações, para atualizações sobre a situação nos pontos de vendas de alimentos (mercados, supermercados e hipermercados), com o objetivo de minimizar os impactos, dar mais agilidade na identificação de possíveis problemas e no encaminhamento de soluções”, diz Abia.

A associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Associação de Alimentos (Abia) lançou a campanha Heróis Anônimos, que mostra o agronegócio trabalhando normalmente para que a população continue abastecida.

Campanha da Associação de Proteína Animal (ABPA) e da Associação de Alimentos (Abia)

 Como ocorre a falta de alimento?

Segundo entidades da indústria, a situação do Brasil é boa, comparado a outros países. E afirmam que é maneira com que os consumidores compram, é que poderá ocasionar a falta de determinados produtos nas prateleiras dos supermercados.

O presidente executivo da Abia, João Dornellas, afirma que a logística e a produção continuam funcionando sem mudanças e que só ocorrerá a falta de produtos se os consumidores comprarem de forma abundante e que mesmo assim, as indústrias tem capacidade de mandar mais produtos. “Se identificarmos que falta algum produto em algum mercado, em algum bairro específico, nós estamos preparados para responder rápido e abastecer aquele local”, destaca.

Dornellas ainda afirma que mesmo com o crescimento da produção, não é preciso ter preocupação. De acordo com ele, o abastecimento está sendo realizado normalmente. “O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de alimentos do mundo. As pessoas se assustam ao verem cenas de outros países, mas nossa situação é muito confortável’’, conta.

O que é desabastecimento?

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o desabastecimento é a falta de produtos de maneira generalizada. Silvio Laban, professor e coordenador do mestrado em Administração no Insper, explica, “Quando falta um produto em determinados locais, ou por algum tempo, isso não caracteriza o desabastecimento, mas, provavelmente, um problema de fluxo da mercadoria, uma falta pontual de abastecimento, que pode ser superada por rápidas iniciativas do setor público e privado. Seria desabastecimento se você tivesse uma ruptura na cadeia, uma interrupção na cadeia de maneira importante do tipo problemas com insumo” conta Laban.

Por Luíza Hennemann