Em tempos de isolamento, cresce a demanda de serviços streaming e operadoras de TV

Com estreias de filmes adiadas,shows cancelados,bares e toda a opção de comércios fechados, devido à pandemia de Coronavírus,as plataformas de streaming e operadoras de TV, são uma das principais fontes de entretenimento.

A empresa americanaAmazon contratou 100 mil funcionários devido ao aumento da procura pelo serviço, segundo o site Istoé, o valor estimado que será gasto é de US$ 350 milhões, para o aumento de salário de seus colaboradores atuais.

O Globoplay por exemplo, deixou disponível gratuitamente por 30 dias alguns conteúdos de seu catálogo, como séries e títulos infantis.

De acordo com os dados do site Justwatch, publicados no portal O Tempo, a porcentagem de acessos entre os dias 9 e 17 março, foi de 37%. O Justwatch é um guia dos filmes e séries disponíveis em plataformas de streaming.

As operadoras de TV por assinatura já liberaram o sinal de alguns canais, que geralmente são fechados, sem custo adicional. Algumas que também oferecem o serviço de internet,estão ampliando a velocidade de navegação e oferecendo bônus adicionais de franquia.

Segundo o Estadão, com mais pessoas podendo trabalhar em casa,a audiência da TV nos Estados Unidos cresceu 22% em 11 de março na região de Seattle, vale lembrar que números significativos de audiência podem gerar uma satisfação a longo ou curto prazo, pois a gravação de filmes, séries e novelas foram temporariamente suspensas, trazendo incertezas para os produtores de conteúdo.

O Executivo da Netflix Ted Sarandos, afirma em entrevista a CNN que a audiência na plataforma aumentou com a pandemia do coronavírus e ressalta que o impacto do adiamento das produções não será de imediato. “O que está acontecendo agora é que estamos bem adiantados em entregar episódios de nossas séries de uma vez, então não haverá interrupção nos próximos meses, mas talvez mais pra frente neste ano, já que as produções físicas não estão operacionais’’, conta Sarandos.

Por Amanda Pase