É fácil fazer o certo

Lugar de bituca é no lixo

Os cursos de Jornalismo e Publicidade da Unisul Campus Tubarão, no primeiro semestre de cada ano, realizam o projeto A COMUNICAÇÃO É SOCIAL. Trabalhos abordando os temas violência, educação ambiental, questões étnicas raciais, direitos humanos e preconceito foram distribuídos para a turma de cada semestre. O 3° semestre de Publicidade e Propaganda ficou com a temática educação ambiental, e resolveu dar continuidade ao projeto Bituca no Lixo, iniciado em 2016, e que agora está na segunda fase. A orientação do projeto ficou a cargo do professor Lucas Damazio, na disciplina de Ferramentas de Marketing.

O projeto Bituca no lixo é uma ação de conscientização para o descarte correto das bitucas de cigarro. O slogan criado foi “É fácil fazer o certo”. Segundo Aline Vieira, uma das alunas responsáveis pelo projeto, a ideia surgiu porque os alunos não queriam um tema que fosse muito comum, e depois de algumas pesquisas chegaram a conclusão de que era um assunto ao qual não se dava a devida importância, então optaram por ele. Na primeira fase do projeto, no ano passado, ocorreu a instalação de coletores de bitucas em todo o campus e bares nos arrredores da universidade. Esse ano, em parceria com a Engie, de Capivari de Baixo, e Cerbranorte, de Braço do Norte, o projeto se expandiu. No Parque Ambiental Encantos do Sul foram instaladas 35 bituqueiras. Na Feagro, feira de agronegócios que acontece em Braço do Norte, serão instaladas mais 35, e posteriormente também serão colocadas também em locais públicos da cidade, como praças e postos de saúde.

Além dos coletores, neste ano também ocorreram algumas atividades de interação com o público. Os alunos criaram o personagem Bitucão, e a mãe de uma aluna confeccionou uma fantasia. A ideia é que o personagem incomode as pessoas, provoque-as, mostrando o quanto uma bituca pode ser insuportável, afirma o professor Lucas. Além disso também estiveram no supermercado Líder Atacadista, distribuindo porta-bitucas e promovendo a conscientização com o personagem Bitucão. Na última quarta-feira, 31, o Bitucão esteve no Centro de Convivência, demonstrando o quanto uma bituca pode ser incômoda.

Aline relata que a turma decidiu continuar com o mesmo tema pois os resultados obtidos no ano anterior os surpreenderam, vendo que o projeto tinha um potencial maior resolveram continuar. Os alunos também entraram em contato com secretarias do meio ambiente, inclusive de Tubarão, que manifestou interesse em aderir o projeto para ser implantado na cidade. Aline também comenta que pretendem tentar uma parceria com o curso de Química ou Biologia, para tentar fazer uma reciclagem das bitucas coletadas pelas bituqueiras. “A ideia é sim continuar com o projeto, é um tema que quando a pessoa pensa um pouco sobre, é algo que temos que falar, temos que mudar e por isso temos a ideia de continuar com o projeto”, ressalta Aline.

Página do projeto no Facebook: https://www.facebook.com/bitucanolixo/

Por Bárbara Dias