Marc Van Ranst aconselha a UEFA sobre o encerramento das competições: “até com os portões fechados será um risco”.

Virologista belga aponta que todos os dias surgem milhares de novos casos de Covid-19.

Em entrevista ao jornal “Het Nieuwsbald” o virologista belga Marc Van Ranst, especialista da Universidade de Leuven, afirma que será impossível retomar as atividades futebolísticas nos próximos meses, que mesmo com as portas fechadas e sem torcida, a retomada será um risco.

— A verdade é que já estamos em abril e continuamos a ter milhares de novos casos de Covid-19, todos os dias, pela Europa afora. Como é que se pode falar em recomeçar o futebol quando não sabemos sequer se já atingimos o pico daquilo que, de qualquer forma, será apenas a primeira fase da doença?  – indagou o especialista.

Mesmo faltando 11 rodadas para o fim do campeonato, Marc, que foi um dos especialistas consultados pelo comitê executivo da liga belga, ressalta que no atual momento não existe uma maneira de dar continuidade e concluir a temporada com segurança, ele aconselhou a parar os jogos e encerrar o campeonato antecipadamente considerando o Club Brugge como campeão, essa proposta terá que ser aprovada pelos clubes na assembleia geral, datada para 24 de abril.

A UEFA considera essa proposta “prematura” e “injustificada”, e com isso, ameaçou deixar os clubes belgas fora das competições continentais na próxima temporada. Mas o virologista acredita que o órgão que rege o futebol europeu já começou a mudar de ideia.

— Tenho a impressão de que a UEFA começa a ver que jogar futebol não é mais possível nesta temporada. Ninguém pode culpar os clubes belgas de tomarem uma decisão dessas. Segundo a liga, seriam precisas três a quatro semanas de treinos antes de se poder recomeçar a jogar. Não é realista terminar as competições atuais e acho que a UEFA começa a perceber isso. – diz Van Ranst, que irá defender, durante a videoconferência marcada para esta quarta-feira, a proposta da liga de seu país de encerrar a temporada.

A UEFA propõe que as ligas aguardem mais um tempo antes de tomar quaisquer decisões sobre qual rumo a temporada tomará, sobretudo porque ainda existe a possibilidade de uma prolongação para o mês de agosto. Mas para que isso aconteça, as atividades deverão ser retomadas no final de junho, com a possibilidade de dar continuidade com “portas fechadas”, o que segundo o virologista, nada resolve.

— Quando isso aconteceu vimos adeptos juntarem-se, fazerem festas e é isso que não pode acontecer. O futebol é o problema secundário mais importante do mundo, mas temos de ser honestos: eventos de massas como concertos, ou festivais de música, e como jogos em estádios vão ser as últimas coisas que voltarão a ser permitidas. – finalizou Van Ranst.

Por: Mariele Freitas.