O novo Turismo: os impactos e mudanças que a pandemia trouxe para o setor

No último mês várias cidades da região flexibilizaram suas medidas de isolamento e passaram a adotar medidas para a reabertura de comércio e alguns locais turísticos.

Desde o início da pandemia do coronavírus um dos setores que mais sofreu com o impacto causado pela doença foi o turismo. Enquanto algumas áreas conseguiram se adaptar para continuar funcionando, o turismo, principalmente o de entretenimento e o de hotelaria, foram os mais afetados, já que depende da presença de várias pessoas. Apesar da flexibilização que muitos lugares estão adotando, permitindo o funcionamento de diversos estabelecimentos relacionados ao turismo, a normalização do setor está diretamente ligada ao fim da quarentena, algo que não é previsto em um futuro tão próximo.

O prejuízo econômico é um dos piores que a indústria já sofreu, a ONU faz uma previsão de que até 30% do turismo internacional poderá sofrer um retrocesso após a pandemia. Essa crise chega em um cenário que só vinha crescendo nos últimos anos. Um estudo feito pela FGV Projetos sobre os impactos econômicos da Covid-19 para o turismo brasileiro, divulgado em abril desse ano, mostra que em 2019 o Produto Interno Bruto (PIB) das atividades características do turismo chegava a R$ 270,8 bilhões.

Em comparação ao PIB desse ano, o estudo revela que o setor sofreu uma perda de 21,5%. E não será fácil para a indústria se recuperar, já que os estudos da FGV ainda estimam que será preciso que o turismo cresça em média 16,95% nos anos de 2022 e 2023, atingindo um PIB de aproximadamente R$ 303 bilhões e R$ 355 bilhões, respectivamente, ao ano. Tendo em vista que o setor representa 10,4% do PIB mundial, conforme mostra os resultados de uma pesquisa elaborada pela consultoria britânica Oxford Economics, é de grande importância para a economia global que o turismo possa se fortalecer novamente após a crise.

Para Josiane Linhares, Turismóloga do Departamento de Turismo de Tubarão, algumas empresas não conseguirão atravessar esse momento de pandemia, apesar de todas as medidas que o munícipio vem tomando. “Depois da retomada das atividades, muitas empresas puderam respirar, a gente tem monitorado, acompanhado para ver se as empresas vão conseguir sobreviver, mas a gente entende que ainda é um pouco cedo para mensurar”, afirma a Turismóloga.

Como uma forma de planejar o futuro do setor, o município de Tubarão tem pesquisado quais são as expectativas e preferências do consumidor para o momento. “As pessoas estão com medo de investir, por ser um futuro incerto, não se sabe quando que essa pandemia vai passar”, explica Josiane. Ela ainda conta que a falta de segurança das pessoas em gastarem seu dinheiro com serviços não essenciais tem impactado a economia da cidade. “O município está sentindo bastante. A gente sabe que há uma queda de arrecadação e é uma reação em cadeia”.

Apesar de o cenário parecer desanimador, a esperança é que o setor possa se fortalecer no momento com o turismo local, como expõe o Secretário de Turismo e Lazer de Laguna, Evandro Flora. “Já iniciamos o Plano de Retomada da Atividade Turística em Laguna, de acordo com os protocolos Federal, Estadual e também respeitando a opinião do Trade Turístico de acordo com os membros do Conselho Municipal. A previsão é de um turismo mais regional, portanto o foco será na divulgação do destino em nossa região”.

Turismo irregular

Aqui na região Sul do Estado, Laguna atrai turistas tanto da Amurel como também de toda Santa Catarina, e às vezes de outros estados. Por ser tão conhecida por todos na região, para fazer aqueles passeios no fim de semana ou para ir à praia, o município tem sido um dos que mais tem tido dificuldades para diminuir a circulação de pessoas. Feriados e finais de semana têm sido, infelizmente, movimentados na cidade e com grandes circulações de pessoas e entrada de veículos vindos de outros locais.

Mesmo com todas as orientações de isolamento social e os números alarmantes, não só no Estado, mas em todo o país, boa parte da população catarinense insiste em não ficar em casa. O secretário de Turismo e Lazer de Laguna, Evandro Flora, conta que um dos fatores que também tem influenciado para as aglomerações de pessoas foi o início da safra da tainha no estado. “Notamos um grande fluxo no Farol de Santa Marta e também no Molhes da Barra”. Ele completa dizendo que o início da temporada de avistamento de baleias também tem influenciado.

Nesses locais citados pelo secretário, alguns pescadores chegaram a se manifestar através de faixas e placas, pedindo para que apenas trabalhadores circulem nessas áreas para evitar que estes se contaminem com o novo coronavírus. A prefeitura chegou a fazer uma campanha de conscientização nas redes sociais.

https://www.facebook.com/PrefeituraLaguna/posts/2879466538789612

Evandro afirma que a secretaria tem atuado nesses pontos de maior volume de pessoas e nas demais localidades do município, como o Morro da Glória por exemplo, local que também atrai bastante visitantes em Laguna. E que ações como orientação ao uso de máscara, álcool gel, bem como restringir o número de pessoas, estão sendo feitas pelo Comitê Municipal Emergencial de Crise da cidade.

Além das fiscalizações, Laguna também tem feito barreiras sanitárias em pontos estratégicos das entradas da cidade nos feriados e alguns finais de semana. As fiscalizações geralmente são feitas no Farol de Santa Marta, Molhes da Barra e Morro da Glória, os lugares onde geralmente há maior aglomeração de pessoas. Em nota, o Governo Municipal declarou que o objetivo dessas ações é “acompanhar a movimentação nesses pontos e orientar o público, com informações de prevenção e também buscando evitar aglomerações”. Vale destacar que desde o dia 15 de abril o decreto de nº 6.222/2020 obriga o uso de máscara no município.

Ainda em relação as barreiras sanitárias, estas são feitas pela Secretaria de Saúde do Município através dos fiscais de Vigilância Sanitária, Agentes de Endemias, Agentes Comunitários de Saúde, Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Municipal. É realizada a medição de temperatura dos ocupantes dos veículos e orientações são dadas em relação a prevenção. De acordo com a prefeitura, a maior parte dos visitantes ao município são de Imbituba, Florianópolis, Braço do Norte e Tubarão. Alguns ainda de São Paulo, Balneário Camboriú e Joinville. Ressalta-se que desde o dia 22 de abril a Portaria de Nº 258 publicada no dia 21 do mesmo mês no Diário Oficial do Estado permite a prática de exercícios físicos em praças e praias por exemplo e consequentemente a circulação nesses lugares, porém com orientações de distanciamento, também foi divulgado um “guia” de convivência para situações como tais.

O grande problema é que algumas pessoas não têm respeitado as medidas e orientações corretamente. Tais fiscalizações e permissões de acordo com decreto estavam sendo seguidas pela cidade de Laguna até o momento. Entretanto, com o aumento de número de casos na região da Amurel nos últimos dias, além dos casos de aglomerações desrespeitando o distanciamento, o município decidiu por aumentar as restrições para minimizar o contágio. No último dia 23 o município decretou o fechamento total de acesso às praias, praças e outros pontos turísticos em geral nos finais de semana e entrada restrita em dias da semana. Além de outras restrições relacionadas a outros setores.

Uma outra região aqui do estado que tem registrado muitas aglomerações, é a Serra Catarinense. De acordo com informações divulgadas pela Agência de Desenvolvimento de Turismo do Estado, a Santur, foi criada uma força tarefa para fiscalizar se as medidas de isolamento e de combate ao vírus estão sendo respeitadas, unindo os municípios da serra e polícias militar e rodoviária. No município de Bom Jardim da Serra estão tendo barreiras de acesso ao mirante da Serra do Rio do Rastro. A ação faz parte da “Operação Inverno” da Polícia Militar, a qual a instituição afirma que continuará nos meses seguintes da estação.

Próximo passo: Reinventar o Turismo
Espaços turísticos passam a funcionar com restrições. Imagem: Freepik

Com a situação da pandemia, mais que nunca o futuro se encontra incerto. Não se sabe dizer quando o cenário estará normalizado e se as atividades serão exercidas como antes. Dessa maneira, os locais turísticos desde já exercem os serviços com adaptações, tendo em mente o que o pós-pandemia reserva. Apesar da realidade atual, o setor não pode parar e vem diariamente se reinventando em todas as áreas.

Uma das maneiras encontradas para sobreviver ao período de crise e continuar levando a cultura e lazer para a população foi o mundo virtual. A tecnologia tem agido a favor de todos neste período de isolamento social, e no setor de Turismo não foi diferente.

Trazendo exemplos regionais, aqui no Sul do Estado uma das celebrações mais aguardadas é a Festa da Gastronomia, que ocorre todos os anos no mês de junho, na cidade de Nova Veneza. O evento reúne, em uma semana, diversos visitantes na pequena cidade de herança italiana, sendo fonte essencial no movimento da economia do município, desde os restaurantes até as hospedagens.

Este ano, a festa típica teve de ser cancelada por conta do coronavírus, mas a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo decidiu não desapontar os neovenezianos e lançou a versão online da tradição. “Após muitas pessoas buscarem informações sobre a 16ª edição da Festa da Gastronomia Típica Italiana e com a tendência da comunicação online decidimos dar uma oportunidade dos moradores e visitantes voltarem ao passado e não deixar o evento passar despercebido”, comentou a secretária do setor, Susan Bortoluzzi Brogni.

A edição 2020 ocorreu da seguinte maneira: no canal oficial da Prefeitura de Nova Veneza, na plataforma YouTube, foram postados dos dias 10 a 21 de junho uma série de vídeos, com duração de três minutos, mostrando fragmentos das festas anteriores, as atrações culturais, as peculiaridades do resgate cultural na gastronomia, o corte do bolo e o lançamento do concurso da rainha. Todo um especial feito diretamente para os espectadores.

Quem também aderiu ao ambiente virtual foi a Prefeitura de Laguna. Conhecido por seu Turismo Histórico, com o planejamento da Fundação Lagunense de Cultura, o município lançou no início de junho um tour virtual 360° sobre a Casa de Anita, local que atraía cerca de 600 visitantes por semana no período anterior a pandemia.

O Museu traz diversos documentos e objetos, e está recheado de memórias da vida da heroína Anita Garibaldi, suas batalhas e paixões. “Todo o acervo, quando mudado, terá sua atualização na plataforma virtual também”, destaca o profissional Ronaldo Amboni, colaborador do projeto. “As pessoas terão acesso a casa em qualquer lugar do mundo. Servirá para todos os tipos de interesses, tanto escolar, acadêmico, turismo, cultural, enfim, uma ferramenta para todos”, descreve.

Apesar das plataformas online serem de grande ajuda no momento, muitos pontos turísticos dependem inteiramente da presença física dos visitantes para o funcionamento das atividades. Pensando nisso, passaram a ser liberadas algumas reaberturas, como é o caso de Parques Ambientais e Zoológicos, um dos mais recentes segmentos autorizados pelo Governo de Santa Catarina, no dia 5 de junho.

Como forma de continuar controlando a disseminação da Covid-19, a Agência de Desenvolvimento do Turismo (Santur) lançou no dia 10 o “Guia com recomendações para visitação de zoológicos e centros ambientais”, que traz uma série de normas a serem seguidas pelos locais turísticos antes de sua reabertura oficial.

Em Maracajá, após a divulgação do Governo Estadual, a diretoria do Parque Ecológico Thomaz Pedro da Rocha esteve se reunindo para a elaboração de um Plano de Retomada das Atividades, e após 10 dias de ajustes, o espaço reabriu no último dia 16, atendendo a todas as novas regras impostas pela Santur. Entre elas está a proibição do uso de bebedouros do local; a fixação de fitas de segurança nos corrimões e parapeitos, impedindo que os visitantes toquem nessas superfícies; a disponibilização do álcool 70% por todo o ambiente; a desautorização da entrada de pessoas que apresentam sintomas gripais; entre outras normas.

Todas as medidas de segurança estão sendo respeitadas….

Publicado por Parque Ecológico Thomaz Pedro da Rocha em Sábado, 20 de junho de 2020

Se em espaços abertos as regras de segurança já são em grande número, nos estabelecimentos fechados a preocupação de contaminação é ainda maior. De volta a Nova Veneza, na Vinícola Borgo, atrativo turístico de grande renome na região, algumas das novas atribuições para o atendimento presencial incluem a capacidade dentro do local reduzida; o uso obrigatório de máscaras; a higienização das mãos com o álcool em gel; e o distanciamento de pelo menos 1,5 metros. Todas essas e demais regras são obrigatórias em todos os locais turísticos de características semelhantes, pelo menos até segunda ordem dos órgãos estaduais.

Em uma reunião realizada no início de junho, as secretarias de Turismo das cidades de Laguna, Imbituba e Garopaba definiram as ações do Projeto Destinos Turísticos Inteligentes do Sebrae, que aponta um cenário positivo para a atividade econômica no segundo semestre de 2020. Segundo o Guia do Sebrae para o Turismo, as pessoas buscarão sair com seus próprios carros e para viagens curtas no pós-pandemia, visto que o futuro funcionamento das companhias aéreas da região ainda não se encontra decidido. “Essas pessoas vão querer ter total autonomia para ir e vir quando quiser e estarão muito bem-dispostas a isso depois de longos meses dentro de casa”, informam os especialistas.


A importância do Turismo

Em princípio, o turismo é tão antigo quanto a história humana. Como é sabido, viagens foram feitas nos primeiros dias da história, por razões espirituais e/ou religiosas, bem como com o objetivo de explorar regiões mais distantes ou pesquisar condições ambientais mais atraentes. As primeiras excursões, documentadas com o intuito parecido com o atual, foram organizadas pelo britânico Thomas Cook em 1841. A viagem principal de Thomas foi realizada com cerca de 500 pessoas através de uma máquina à vapor, em direção a Loughborough, Inglaterra. O destino era uma reunião, mas ao longo do caminho a faísca do que chamamos de “viagem turística” nasceu. O turismo é uma das atividades econômicas e culturais mais importantes que um país tem, pois gera um impacto econômico bastante significativo, sem desastres ecológicos ou impactos negativos no meio ambiente. Independentemente dos diferentes tipos de turismo que existem hoje, esta indústria gera o movimento e a reativação econômica do local onde se desenvolve, assim, todos os países geram empregos, obras de infraestrutura, desenvolvimentos gastronômicos e hoteleiros, crescimento nos transportes etc.

Portanto, o cuidado de cada país é de extrema importância para o desenvolvimento desse campo.

As estatísticas dizem que, em 1950, foram registrados 25 milhões de turistas internacionais e, em 2014, aumentaram para 1.133 milhões, com isso podemos observar o grande crescimento que o turismo proporciona   ao setor econômico de um progresso comunitário, empresarial e socioeconômico. Segundo a Organização Mundial de Turismo, hoje, o volume desse exercício é igual ou superior ao das exportações de petróleo, produtos alimentícios ou automóveis; e 1 em cada 11 trabalhadores colabora em setores relacionados ao turismo, direta ou indiretamente. O turismo também é um aspecto fundamental na promoção de um país para melhorar a reputação e o posicionamento, promovendo todos os seus pontos fortes como cultura, esportes, negócios, destinos históricos, eventos, educação, investimento etc., e assim podemos dar incentivos ao mundo para visitar ou investir. Sem subestimar a importância e deixar de lado os números ou aspectos comerciais, o turismo também é importante na vida das pessoas, porque visitar novos locais turísticos ou trabalhar neles muda totalmente a percepção das coisas, apreciando a vida, pessoas, os valores, mas acima de tudo isso faz as pessoas felizes, crescendo, redescobrindo e interagindo em realidades diferentes.

O turismo não é apenas uma indústria, é um modo de vida.

Vídeo por Bárbara Dias

Reportagem: Ariadne Marcelino, Bárbara Dias, Beatriz Godoy e Vítor Fernandes

Imagens: Freepik

Edição de vídeo: Bárbara Dias

Confira mais conteúdos da editoria de Turismo.