Resgate de empresas falidas: azar para alguns, oportunidades para outros

Com a crise econômica que o Brasil vem enfrentando há alguns anos, os números de empresas fechando é maior do que o número de novas empresas no país. Segundo o IBGE em 2015, por exemplo, 713,6 mil empresas fecharam as portas, contra 943,9 mil em 2014. Cerca de 3,8 milhões de empresas sobreviveram de um ano para o outro e 708,6 mil entraram ou voltaram a atividade em 2015. Com isso, o saldo no total de empresas ficou levemente negativo, com cerca de 5 mil empresas ativas a menos do que no ano anterior. De uns anos para cá as empresas que mais fecharam as portas foram do setor de comércio.

Há vários exemplos de empreendedores que viram oportunidades em empresas que fecharam as portas, um exemplo disso é o engenheiro civil Mario Barreto, que em 2014, no seu último ano de faculdade, decidiu abrir o seu novo negócio em um pavilhão que o dono na época abandonou por falência.

Começando do zero, Mário abriu uma fábrica de pré-moldados para a construção civil. Ele que hoje tem 27 anos, conta que começou a trabalhar cedo, com 15 anos já ajudava seu pai em uma distribuidora. Conta também que no início do seu próprio negócio, encontrou muitas dificuldades, enfrentou muita burocracia e juros. Mas que hoje em dia ele não se vê mais trabalhando se não for por conta própria. Na área em que trabalha, Mário aconselha a quem quer seguir nesse ramo, estudar bastante e literalmente colocar a mão na massa. Segundo o Sebrae ser empreendedor é ser aquele que inicia algo novo, que vê o que ninguém vê, aquele que realiza antes, aquele que sai da área do sonho, do desejo, e parte para a ação.

Um outro exemplo de empreendedorismo é Harrison Marcon, ele investiu em uma empresa da área de calçados que já estava falida e conseguiu reerguê-la, mas Harrison tinha uma vantagem com ele, uma longa experiência de 30 anos de administração, além dessa loja que ele conseguiu reerguer ele tem mais três comércios, todos da área de calçados.

“Minha experiência profissional ajudou na administração dessa nova empresa, sendo implementado novos planos de ação para incrementar as vendas”, diz Harrison. Ele salienta dizendo que o mais difícil em uma empresa nos dias de hoje é contratar profissionais de qualidade. E termina dizendo “ o conselho que dou para todos que desejam começar no comércio é pesquisar o mercado, ter bem definido qual será sua área de atuação e ser profissional, pois o mercado está muito concorrido e não permite erros”.

O Sebrae dá algumas dicas do que um empreendedor de sucesso precisa ter, entre elas estão: ter imaginação, determinação, habilidade de organizar, habilidade de liderar pessoas, habilidade de conhecer tecnicamente etapas e boa sorte.

Texto: Débora Dias