Rotina dos catarinenses muda após o decreto do governo

Após a confirmação de que há casos de transmissão comunitária do Covid-19 no Sul do estado, o governo de Santa Catarina declarou situação de emergência em todo território catarinense. Por meio deste decreto, a partir desta quarta-feira (18), a circulação de veículos de transporte coletivo, as atividades e serviços não essenciais, tais como academias, shopping, e comercio em geral, as atividades e os serviços públicos não essenciais e a entrada de novos hospedes no setor hoteleiro, foram atividades suspensas pelos próximos sete dias.

Os serviços que são considerados essenciais, como farmácias, mercados, postos de combustíveis, distribuição de energia, gás e água e os serviços da saúde serão mantidos.

Em Tubarão, a Polícia Militar circula pelas ruas da cidade realizando um patrulhamento e ronda nos estabelecimentos em que o decreto determina o fechamento. A primeira orientação que os policiais receberam é de notificar os comerciantes e proprietários para que fechem as portas, e caso isso não aconteça poderão ser passíveis de multa e outros processos administrativos.

Adaptação das atividades é o novo desafio para a população

Diante desta realidade, muitas pessoas não podem exercer suas funções no seu ambiente de trabalho, mas, com a facilidade que os meios de comunicação proporcionam podem trabalhar de sua própria casa, o chamado “home office”. Inclusive atendimentos psicológicos e religiosos. O psicólogo Antônio Fernandes adotou as recomendações feitas pela Secretaria de Saúde e disponibilizou a modalidade de atendimento online, evitando uma interrupção no processo terapêutico, porém afirma que há uma série de restrições para que ocorra o atendimento online.

“O paciente e o psicoterapeuta têm que estar em um ambiente da casa onde não tenha circulação de pessoas para que o sigilo terapêutico se mantenha vigente e uma conexão de internet para a vídeo-chamada. A modalidade online se torna muito útil para que as pessoas não fiquem desassistidas”, relata Antônio.

As instituições religiosas também estão se adaptando ao momento atual. Na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Tubarão, foi lançado o projeto “Catedral Solidária” que tem o objetivo de realizar orientações espirituais e bênçãos pelo telefone, além da a prestação de serviços para pessoas idosas, como por exemplo, ida aos mercados e farmácias. O pároco, Padre Eduardo Rocha ressalta que a suspensão de missas e encontros não os impede de exercer a caridade.

“Nós, padres da Catedral, estamos apostos para orientações espirituais e bênçãos por telefone, e junto com alguns jovens nos propomos a ajudar o grupo de risco que estão confinadas em suas casas e apartamentos e que terão de forma natural, dificuldade de sair para comprar medicamentos e alimentos. A estrutura é modesta, mas com aquilo que temos estamos à disposição de todos.”, acrescenta.

Produção textual: Matheus Gomes.
Foto: Maria Luiza Inácio.